Poesia, magia ou ciência?

Será poesia Magia Ou pura ciência? A busca é constante Qual seja a via. Se por uma lente Eu busco expandir Talvez com as palavras O objetivo há de vir. O fixo é maleável Às vezes, insuportável. Se uma teoria me diz Alguém que o quis Dizer para um fato Seu próprio encargo. Na pele,... Continue lendo →

Um completo incompleto

Completo Nada perfeito Emito meu som Desfaço a ilusão, Outro. Somos pedaços do infinito Amigo Ou inimigo, Um: Convergência de várias ondas Que ora Em uníssono É mel dulcíssimo. Imperfeito Completo Um humilde pecador Da igreja me afastei No cabresto não me encaixei O que não cabe Dou cabo Abandonei. Vi que Deus está na... Continue lendo →

Fluxo

Seguir o fluxo A todo custo Com toda a força Largar a forca Sem pestanejar O controle desarmar Sem ter que obedecer A um superego reclamante Que se acha comandante. De todas as vias Prevejo um melhor guia, Universo Para todos os dizeres Que surgem nestes versos. Quem sabe assim A demanda do inconsciente Pare... Continue lendo →

Vazio

The English version is right bellow Visto-me do  vazio Encaro todo riso Enamorado pelo ludismo De ser um com meu caos. Quando penso que consigo É só pra ser ouvido Por meu ser mais mortal Que faz da hora o meu punhal. Um relógio grita aqui dentro Certo de que há um centro Para tanta... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑