Corpo-mestre

às vezes, a palavra é dura perdoem-me, estou cansado de frescura às vezes, a paciência é pequena perdoem-me, tentarei ser mais amena às vezes, o equilíbrio me foge perdoem-me, ainda há partes cobre ás vezes, a sanidade é inimiga perdoem-me, alguns padrões não são amigos às vezes, a Terra urge um norte perdoem-me, sou do... Continue lendo →

O quando é Agora!

Um pássaro hoje veio me contar as contradições que me impedem o voar. por horas, contou-me estórias tristes de pessoas incríveis tolhidas pelo que do outro vem. vem e no corpo é gravado, tatuagem. até quando definitiva? a essência, o interno, é miragem. aquela linda visão da alegria sem motivo quando criança... é lembrança. viagens... Continue lendo →

Possibilidades

Somos possibilidades onde me enxergo é vazio criação potencial do nada ainda a ser nada tudo a florescer caos desordem expansão limites quebrados pela não palavra indefinição quântica do corpo mente espírito palavra rasgada frequências vagantes no infinito perguntas que propagam e não fecham a caminhada bordas que deixaram de ser linha viajaram o além-mar... Continue lendo →

Vidas passadas só que paralelas

O passo que danço é o compasso do canto que me guia a caminhada. Ora tropeço ora me caio, de soslaio, o tombo investigo e me rio. Deixo-me desaguar na esperança da transformação. Rio que me corre as ventas e vai desabar no mar. Oceano que me ondas e me viajas as profundezas de um... Continue lendo →

Carnaval

mais uma vez carnaval. veio e foi igual vendaval. do meu equilíbrio, fez excesso e me lambuzei. como, senhor, eu gostei. e gosto... dos gostos sabores amores por onde passei... não me enclausurei. os cheiros as peles as penas e lembranças moram no peito e pra Terra, me entrego. completo inteiro e certo de que... Continue lendo →

Onde eu me encontro?

o barulho escuto lá fora é o grito geme aqui dentro a loucura enxergo lá fora é a procura arde aqui dentro o mal condeno lá fora é a faca me corto aqui dentro felicidade buscam lá fora eu me rasgo pra achar aqui dentro tortura sofrem lá fora eu me imputo sofro aqui dentro... Continue lendo →

O corpo nu

o corpo veste a alma e nunca se cala a expressão e a calma, da alma do corpo objeto da criação é criação constante células vibrantes cantantes dançantes por liberdade por expressão da alma mas a calma se cala e o grito emerge da alma quando o sexo o falo e a falta são impostos... Continue lendo →

Multidimensional

Multidimensional Eu Sou Estou em vários lugares Ares e ares de mar Vento que sobra E sou Minhas asas são maiores que minhas naves E as bato além do conhecido Até que percamos o sentido A razão Elevo a frequência por onde passo Sou onda e me viajo Infinitamente Por dentro Por fora A qualquer... Continue lendo →

Eclipse

A Lua, entre o Sol e Terra instiga-nos o progredir a evolução para que o nosso fluir seja menos baseado em matéria mas em equilíbrio entre o precipício e o início de um novo povo de um novo Ser que aprendeu do sofrer os limites que o barravam e o limitavam a estrada, o amanhecer.... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑