Corpo-mestre

às vezes, a palavra é dura perdoem-me, estou cansado de frescura às vezes, a paciência é pequena perdoem-me, tentarei ser mais amena às vezes, o equilíbrio me foge perdoem-me, ainda há partes cobre ás vezes, a sanidade é inimiga perdoem-me, alguns padrões não são amigos às vezes, a Terra urge um norte perdoem-me, sou do... Continue lendo →

Show da Terra

Era uma vez, em uma época não tão distante, célebres personalidades e donos de grandes empresas ditadores da economia mundial reunidos em um espetáculo do show da Terra.  A cerimônia foi iniciada com o discurso do Presidente de uma indústria alimentícia atuante em todos os cantos do mundo. Alarmem-se: "Queridos amigos e empresários, hoje é... Continue lendo →

Memória

Símbolo extenso sempre perdido, mais que querido. Fragmentos de seres que se perdem em emoções Internalizadas por experiências, por vezes, traumáticas:  Recalque. Crianças aprendem que dependem da memória. Se não se lembra, é mentira. Como assim? O que é verdade? Perdidos em dicotomias semânticas, vagamos pela infância, puberdade e adolescência tornamo-nos adultos desmemoriados. Frutos da... Continue lendo →

Sinais

Andamos a vida em busca de sinais Tudo para encontrar alguns iguais Que compartilham pensamentos Sobreviventes a tormentos. A gravidade tem nos atraído Nós, retardados Resistentes Retraídos Remanescemos distantes do paraíso Que construímos com ideais Limitadores do conhecer O próprio saber O quanto pode ser letal Agir como um animal Que a natureza responde instinto... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑