Escravos

perdeu-se o sentido houve alguma vez? a vítima se apaixona pelo estuprador a dor sentida chorada gemida grita as reticências da repetição, sem lamentação muitos imploram o estupro da dignidade imploram a regência da morte da liberdade retorno ao fanatismo extremo dos que não se conhecem permanecem, submersos em predileções perdidos em negações amputações internalizadas... Continuar Lendo →

A angústia da separação

Se a mente é limitada compreendemos apenas o que conhecemos o além-mar do sabido é ilha perdida fora do alcance para os que vivem estátuas e não enxergam o paraíso encontrado por náufragos, os que se afogam em si mesmos os que se mergulham fundo sem medo do mundo que encontrarão e dos monstros em... Continuar Lendo →

Crença Indivíduo

A pele me força o andar ardem as queimaduras do passado e a constante busca pelo preenchimento do vazio faz-me morrer o paraíso (o fluxo inerente ao sorrir) que aqui, mora, e agora resta-me reconstituir os cortes e a sorte de ser quem eu também sou quando da estática crença indivíduo eu me afasto e... Continuar Lendo →

Paraísos ideais

Algumas manhãs quero o mundo exatamente ao meu prazer: Já não tenho fundo não quero mais ter que assistir ao sofrer. Crio paraísos ideais neles mergulho em desejos bem reais em todos vejo felicidade tanta que até pr'aquela anta eu desejo muita paz. Nestes rompantes egóicos quero todos como eu quero numa perfeição surreal planto... Continuar Lendo →

Sinais

Andamos a vida em busca de sinais Tudo para encontrar alguns iguais Que compartilham pensamentos Sobreviventes a tormentos. A gravidade tem nos atraído Nós, retardados Resistentes Retraídos Remanescemos distantes do paraíso Que construímos com ideais Limitadores do conhecer O próprio saber O quanto pode ser letal Agir como um animal Que a natureza responde instinto... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑