Corpo-computador

Corpos-computadores dados criacionais gravados em DNAs o acesso é árduo obriga-nos a computar dores apegos crenças falsos amores vasos em que plantamos sonhos estáveis demais para serem reais. O fluxo constante impede-nos o estanque do instante criado em esperança de se eternizar a criança não dorme não descansa com vistas a construir melhor dança que... Continuar Lendo →

Anúncios

Perdão

Nas mãos vejo mapas. predisposições a reações escritas em passados. em muito era maltratado, parte de um jogo emocional... perdido... logrado em trocas defasadas por um amor cobrado. não sentido. imaginado. limites não impostos que portas fecharam. dentro. no peito, dilacerado. só queria amor, ganhava exageros incompreensões. individualizadas intenções. pra um tem noção. em dois,... Continuar Lendo →

Desalento

As palavras tentam me sair sou eu que me saio perscruto exteriores almejando interiores bato a cabeça em maus amores julgamentos baseados em dores sou eu ou sou ele? eles vocês nós quem somos? vestígios de guerras pós ou martírios quimeras nós? penso penso penso quando percebo estou desatento ao que estou: ausente presente na... Continuar Lendo →

Sou Bruxa

Sou Bruxa estou aqui para queimar o antigo e o sofrido tempo, por qual passamos inebriados por nós mesmos frutos de escolhas que mais eram sociais que nos trouxeram paz. Sou Bruxa já morri queimada sou eterna voltei pra renovar o que não pude acabar. Sou Bruxa minha magia é destruição fogo renovação se você... Continuar Lendo →

lei da atração

o universo é paciente e está ciente de todas nossas escolhas feitas desfeitas refeitas a cada vinho que tiramos a rolha. O corpo é um emaranhado de células átomos mas ondas e em cada caso pensado ele nos responde se foi amado ou desrespeitado. as possibilidades são infinitas sejamos um monge ou uma mente aflita... Continuar Lendo →

Desconstrução

O corpo é fluido a pele é pena a memória é até pequena mas do intuito, eu me lembro: é desconstrução de emoções, que alguns membros arrancaram e me relegaram à separação. hoje, desconstruído olho-me o umbigo e me equilibro a razão ela não manda mais apesar de ainda tentar afogar minha paz. Felipe Abras... Continuar Lendo →

O corpo nu

o corpo veste a alma e nunca se cala a expressão e a calma, da alma do corpo objeto da criação é criação constante células vibrantes cantantes dançantes por liberdade por expressão da alma mas a calma se cala e o grito emerge da alma quando o sexo o falo e a falta são impostos... Continuar Lendo →

fogo

O fogo queima se a pele teima em repetir o passado o conforto sempre vivido agora, assado morto e enterrado. a natureza não é dual ela faz seu dever sem julgar ou temer o que está pela frente não importa o que a gente tente vai queimar se estiver na hora de ir e a... Continuar Lendo →

Só sei que danço

Às vezes, fico em dúvida se danço as letras ou o coração, sou levado pelo movimento sejam das ondas em dispersão ou da minha mente em confusão, só sei que danço não importa a hora ou a intenção o que vigora é a canção o ohm eterno dos paralelos encontram paz sem direção seja na... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: