Perdão

Nas mãos vejo mapas. predisposições a reações escritas em passados. em muito era maltratado, parte de um jogo emocional... perdido... logrado em trocas defasadas por um amor cobrado. não sentido. imaginado. limites não impostos que portas fecharam. dentro. no peito, dilacerado. só queria amor, ganhava exageros incompreensões. individualizadas intenções. pra um tem noção. em dois, … Continue lendo Perdão

“O outro em si”

No último domingo, 27/08/2017, eu tive o prazer de assistir ao espetáculo "o outro em si", da Cia Sesc de Dança. Desse momento inenarrável, nasceu o poema: Ele se perdeu andou andou andou e se perdeu em tudo que se envaideceu ele se buscava em todas as portas que escancarava entrava saia os pormenores, media … Continue lendo “O outro em si”

Indivíduo ou infinito?

Ei, quem é você? não sei, estou sempre procurando mas, de novo, eu acabei de me esquecer do que sou, do que fui, de tudo que me prende o limite está na mente. Olho o céu e me vejo no chão. Na mão o coração, engatinha a saída o lançamento de uma nova peça em … Continue lendo Indivíduo ou infinito?