Escravos

perdeu-se o sentido houve alguma vez? a vítima se apaixona pelo estuprador a dor sentida chorada gemida grita as reticências da repetição, sem lamentação muitos imploram o estupro da dignidade imploram a regência da morte da liberdade retorno ao fanatismo extremo dos que não se conhecem permanecem, submersos em predileções perdidos em negações amputações internalizadas... Continuar Lendo →

Ano novo

O ano é novo O novo são segundos Criados com maestria O novo é o presente Que criamos A cada novo dia. Nova hora Novas portas Embora, algumas chaves Escondam-se mortas. O novo são momentos Em que aprendemos os tormentos Para criar um novo dia, O ano é novo Quando percebemos Que somos nossos guias... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑