ME VI

A arte do Renato Morcatti é daquelas que me faz vibrar e do meu corpo, em vórtices energéticos, algo precisa sair e ser criado. Assim nasceu este poema, após visita à Exposição MEVI, na galeria do BDMG Cultural, em Belo Horizonte. As obras podem ser visitadas até o dia 30 de agosto de 2018.  ... Continuar Lendo →

Corpo-mestre

às vezes a palavra é dura estou cansado de frescura às vezes a paciência é pequena perdoem-me, tentarei ser mais amena às vezes, o equilíbrio me foge ainda há partes cobre ás vezes a sanidade é inimiga alguns padrões não são amigos às vezes a Terra urge um norte sou do ar e bem de... Continuar Lendo →

Gratidão

aos que aqui agora lutam sangram batalham por minorias expresso minha gratidão e vos digo: não será em vão! cada passo cada grito cada bala que carregamos no peito são escadas da evolução. viver é sentir amar construir perder chorar aprender criar e dançar, a morte é ilusão morre todo dia quem não se levanta... Continuar Lendo →

Corpo-computador

Corpos-computadores dados criacionais gravados em DNAs o acesso é árduo obriga-nos a computar dores apegos crenças falsos amores vasos em que plantamos sonhos estáveis demais para serem reais. O fluxo constante impede-nos o estanque do instante criado em esperança de se eternizar a criança não dorme não descansa com vistas a construir melhor dança que... Continuar Lendo →

Ainda há esperança

A impermanência é a verdade Não importam os planos Ou a idade. Se gostamos de onde estamos Pode ser apego Ao que temos ou somos, Mas se houver necessidade A vida nos fará a mudança Não importa o credo A crença Ou a dança. Mas não nos preocupemos tanto Para todos, ainda há esperança. Felipe... Continuar Lendo →

Qual a diferença?

Talvez a saída seja a fé Seja no santo seja no rapé Não consigo ver tanta diferença Seja qual for a crença. Símbolos vagantes Destoantes Tudo que dizem é o mesmo Se se anula a diferença Permanece quiçá a tal crença. Para uns Shiva Para outros Jesus, Para alguns Maomé Para mim meu próprio pé.... Continuar Lendo →

Crença Indivíduo

A pele me força o andar ardem as queimaduras do passado e a constante busca pelo preenchimento do vazio faz-me morrer o paraíso (o fluxo inerente ao sorrir) que aqui, mora, e agora resta-me reconstituir os cortes e a sorte de ser quem eu também sou quando da estática crença indivíduo eu me afasto e... Continuar Lendo →

Linearidade Truncada

A linearidade da vida é truncada não importa quem você é ou se vai pegar estrada queremos que os passos, planejados sejam firmes feito aço mas a verdade é que não há tempo ou espaço em que o comando consciente seja puro o suficiente para que o inconsciente não domine a gente. Embora, se a... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑