Navegando a imaginação

constantemente inconstante sigo rumo ao desconhecido amanhã ciente da incógnita presente em cada momento em que no corpo me sinto. sinto cada célula despertar a cada momento sensações de outrora de agora de amanhã e o eterno fluxo atemporal por onde lados brincam a ciranda energética entre ser e não ser na constante criação gozo... Continuar Lendo →

atemporal

consciente de mundos futuros vivo presentes desconstruindo passados altos fatos no corpo ancorados o fim, maus tratos emoções traumas antigos arcaicos o que achávamos que sabíamos passado diante da pele nervos ossos memórias, maus tratos pergaminhos escritos à sangue de magos reis dragões pássaros serpentes palácios num passado presente num futuro não desejado vivido e... Continuar Lendo →

Sou muitos!

O ar que me falta é a falta que faz morar-me em matéria e sentir o vazio de ser um ponto: apenas um indivíduo e pronto. Sou muitos! Felipe Abras Para conhecer um pouco do trabalho que faço com Geometria Multidimensional, clique no link: felipeabras.com/canalizacao-geometria-sagrada Se você se interessa por massagens terapêuticas e energéticas, confira... Continuar Lendo →

E nossa responsabilidade, onde está?

Todos querem alguém acusar pelo sofrimento ou pelo preconceito que nós todos já sofremos o chiar é criança, adolescente, adulto ou sei lá só sei que todos sofremos e somos vítimas do que querem nos causar. E nossa responsabilidade na criação onde está? Será que fugiu a nadar ou só foi ali passear? Felipe Abras... Continuar Lendo →

Ainda há esperança

A impermanência é a verdade Não importam os planos Ou a idade. Se gostamos de onde estamos Pode ser apego Ao que temos ou somos, Mas se houver necessidade A vida nos fará a mudança Não importa o credo A crença Ou a dança. Mas não nos preocupemos tanto Para todos, ainda há esperança. Felipe... Continuar Lendo →

Indivíduo ou infinito?

Ei, quem é você? não sei, estou sempre procurando mas, de novo, eu acabei de me esquecer do que sou, do que fui, de tudo que me prende o limite está na mente. Olho o céu e me vejo no chão. Na mão o coração, engatinha a saída o lançamento de uma nova peça em... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: