Flutuações mentais

constantemente perdidos em flutuações mentais sofrem em ansiedades ao presente, fatais viajam em desperdícios da energia criativa que poderia ser amorosa criação acabam vivendo desilusão. O amanhã é cenário mentalmente gozado na prática não há toque bem dado ou amor visitado o real é preso a um futuro ideal a um passado mal passado nem... Continuar Lendo →

Anúncios

Amor, sem predileção

pedra cabeça rolante em muros prisões distante do fluxo dos rios paixões batem o concerto maldito criado por medo até que a morte bem vinda descalça e sem calça rogante por almas e praças faz sua ação. fogo que queima o antigo e o abrigo de um povo iludido perdido inaudito queimou os ouvidos da... Continuar Lendo →

O centro

alguns olhavam prum lado outros olhavam pro outro do centro, o garoto absorto, fechava os olhos com medo não queria enxergar preferia negar o paradoxo escancarado que via, sangrava pelas narinas dos cegos que achavam que viam a saída a salvação, mas ruínas dos tantos gritantes por lados, mal eles sabiam do centro, bem dentro... Continuar Lendo →

Abismo consciência

as árvores troncos raízes folhas caem renascem a idade o antigo o velho o novo se refazem os planos os panos e homens tantos se calam na calada da inocência criança interna perdida em medos distrações causados por traumas antigas ações percalços em atos agora descalços tropeçam o interior abismo consciência entre o querer e... Continuar Lendo →

Nasce um livro

um sonho várias vidas caminhos percorridos antes tortos até sofridos, mas com certeza bem vividos às vezes exageros às vezes comedidos o que importa disso tudo dos tropeços tombos caídas e recaídas são os frutos e avanços sentidos que, desta vez fizeram nascer um livro.   Gennnteeee, estou um pouco sumido aqui do blog. Perdão... Continuar Lendo →

Escravos

perdeu-se o sentido houve alguma vez? a vítima se apaixona pelo estuprador a dor sentida chorada gemida grita as reticências da repetição, sem lamentação muitos imploram o estupro da dignidade imploram a regência da morte da liberdade retorno ao fanatismo extremo dos que não se conhecem permanecem, submersos em predileções perdidos em negações amputações internalizadas... Continuar Lendo →

Presença e dança

Na presença, faço-me dança pra amenizar e pesquisar as dores que o corpo alcança. Sei que vieram calar passos cansados de engatinhar tanta miséria ilusionada que me impediam a constância materializada de ser luz canalizada num coração hoje expandido que não vive mais atrito dança e é apenas é presença fluidez e dança. Felipe Abras... Continuar Lendo →

ME VI

A arte do Renato Morcatti é daquelas que me faz vibrar e do meu corpo, em vórtices energéticos, algo precisa sair e ser criado. Assim nasceu este poema, após visita à Exposição MEVI, na galeria do BDMG Cultural, em Belo Horizonte. As obras podem ser visitadas até o dia 30 de agosto de 2018.  ... Continuar Lendo →

pequenas equações da dualidade

Amor amor amor pregam os religiosos e os espiritualizados. gritam gemem propagam e divagam várias nuances de um bem que vaga. parece só memória, alguns se esquecem tem hora. sentam para orar, ajoelham-se... na esperança do perdão, e do atendimento. Deus tem hora marcada: quando alguém se fode e se arrepende. bom deus onipresente onisciente... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: