ME VI

A arte do Renato Morcatti é daquelas que me faz vibrar e do meu corpo, em vórtices energéticos, algo precisa sair e ser criado. Assim nasceu este poema, após visita à Exposição MEVI, na galeria do BDMG Cultural, em Belo Horizonte. As obras podem ser visitadas até o dia 30 de agosto de 2018.  ... Continue lendo →

E nossa responsabilidade, onde está?

Todos querem alguém acusar pelo sofrimento ou pelo preconceito que nós todos já sofremos o chiar é criança, adolescente, adulto ou sei lá só sei que todos sofremos e somos vítimas do que querem nos causar. E nossa responsabilidade na criação onde está? Será que fugiu a nadar ou só foi ali passear? Felipe Abras... Continue lendo →

Incômodos

Incomoda-me ter que arrumar a casa é um limpa suja eterno em paredes já estou preso, estou mais que cansado de podar minhas asas. Incomoda-me ter que seguir o padrão muitos gostam mas eu não vejo sentido ou razão. Incomoda-me ter que agradar em toda palavra a falar, muitos acham que precisam ser amados à... Continue lendo →

Caminhos tortos

A gente tenta ser mais, mas o frio esquenta e sem mais, viver a esmo vira mais uma nuance do cabresto este ponto que nos retiramos e aos poucos nos enganamos sobre o que pode ser ou sobre o que queremos ter, o conforto parece asas eleva-nos a quartos escuros a submundos, de nós mesmos... Continue lendo →

Qual a diferença?

Talvez a saída seja a fé Seja no santo seja no rapé Não consigo ver tanta diferença Seja qual for a crença. Símbolos vagantes Destoantes Tudo que dizem é o mesmo Se se anula a diferença Permanece quiçá a tal crença. Para uns Shiva Para outros Jesus, Para alguns Maomé Para mim meu próprio pé.... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑