O céu que somos

Seus olhos me brilham
a consciência
do centro, eles me tiram
não há volta
nem ciência
que me faça tão faísca
quanto o tanto
que me isca
seu desdém ao meu interno,
centro de tanto esmero
não suficiente,
entretanto,
para te mostrar o céu
que somos
sempre quando
da beleza, externa
tiramos o véu.

Felipe Abras

8 comentários em “O céu que somos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s