Invenção

Invento a sorte ao vento
Que leve a morte embora
Encerre a falsa vida
Fluir o medo é hora.

O ar não para
É constante respiração
Somos o conjunto
Terra.
Enquanto houver respiro
É pra ti que miro
O foco alto a gritar
Da essência que nasce ao luar.

Invento a sorte aos lentos
Os que dormem no ponto
Nem se importam e pronto.

A vida não para
Porque correr?
A vida não tarda
Porque sofrer?

Se for hoje
Volta amanhã!
Há sempre tempo
Em cada manhã...

Invento a sorte aos pecadores
Os que não perderam tempo.
De inferno a terra tá cheia!
Deus ainda perdoa dores.

Até mesmo aos maus amores
Que se esqueceram de lembrar
Que o outro é o melhor espelho
Não se olhar é se quebrar.


Felipe Abras

2 comentários em “Invenção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s